Cargando.. por favor espere...

São José Maria Tomasi

San José María Tomasi

José Maria Tomasi formava parte da nobre família dos Príncipes de Lampedusa. Nasceu em Licata (Agrigento, Itália) no dia 12 de setembro de 1649. Seus padres foram Júlio Tomasi-Caro e Rosalia Traina Drago. Desde cedo, José Maria mostrou uma profunda inclinação pelas coisas eclesiásticas, que logo foi se transformando em amor pela sagrada liturgia.

São José Maria Tomasi renunciou a seus bens e direitos nobiliários e ingressou na Ordem dos Clérigos Regulares (Teatinos), professando na Casa Teatina de Palermo no dia 25 de março de 1666. Em 1673, foi ordenado sacerdote, dedicando-se por inteiro à investigação e estudo das fontes e monumentos que colocaram as bases da liturgia cristã. Por seu trabalho de erudito, foi chamado de o «Príncipe da Liturgia Romana».

Na perspectiva de sua tarefa científica, o maior interesse que o teatino siciliano teve, foi que os fiéis participassem das celebrações litúrgicas de maneira ativa e inteligente, de modo que pudessem aproveitar melhor para o desenvolvimento da vida moral dos fiéis. Neste sentido, as intuições de São José Maria Tomasi anteciparam as resoluções que o Concílio Vaticano II (1962-1965) iria propor depois.

Clemente XI o fez Cardeal no Consistório no dia 18 de maio de 1712 com o título dos Santos Silvestre e Martín ai Monti. Também desde a dignidade cardinalícia se preocupou por impulsionar a beleza do culto divino, seja nas formas rituais que nos espaços fossem destinadas. Ademais, animou a catequese das crianças e a atenção aos pobres.

Morreu em Roma no dia 1º de janeiro de 1713. Beatificado por Pio VII em 1803, foi canonizado por São João Paulo II no dia 12 de outubro de 1986. As relíquias de seu corpo se veneram na Basílica de Sant’Andrea della Valle (Roma). Sua fiesta litúrgica é no dia 03 de janeiro.