Cargando.. por favor espere...

São Caetano

San Cayetano

São Caetano, descendente da nobre família Thiene, filho de Gaspar Thiene e de Maria Porto, nasceu em Vicenza (Itália) presumivelmente no mês de outubro de 1480. Conseguiu o doutorado em ambos direitos, canônico e civil, na Universidade de Pádua. Pouco tempo depois, havendo recebido a sagrada tonsura (1504), pela que entrava a formar parte do estamento eclesiástico, se transferiu a Roma (1507), para formar parte da Cúria Romana, sob o pontificado de Júlio II. Ao serviço deste Papa, exerceu o ofício de escritor das letras apostólicas, com a função de Protonotário Apostólico.

Juntando-se ao Oratório do Divino Amor de Roma (1515), exerceu, em distintas cidades italianas, atividades similares às que tal confraternidade desenvolvia. No dia 30 de setembro de 1516, foi ordenado sacerdote. Neste cenário, o vemos São Caetano dedicado à oração, ao estudo das Sagradas Escrituras e à atenção aos enfermos, especialmente a aqueles que se denominavam «incuráveis». Fruto desta última atividade desempenhada por Caetano, foi a fundação do “Hospital de Incuráveis” de Veneza, junto às patrícias venezianas: Maria Malpier e Marina Grimani, em 1522. Também o Santo vicentino realizou um apostolado da mesma índole no “Hospital da Misericórdia”, em Vicenza, dando forma de nosocômio para incuráveis, e no Hospital de São Tiago na Augusta, de Roma.

Comprometeu-se a reformar os costumes dos eclesiásticos, se esforçou por restaurar na Igreja de seu tempo o modo de viver dos Apóstolos. Neste trabalho encontrou a João Pedro Carafa, bispo de Chieti e membro do Oratório do Divino Amor romano. O resultado deste encontro foi a fundação da Ordem dos Clérigos Regulares (Teatinos) no dia 14 de setembro de 1524.

De caráter tranquilo e sociável, dotado de luminosas virtudes sacerdotais, promoveu o esplendor do culto divino e a participação frequente aos sacramentos. Nos chama a atenção em Caetano a veneração ao Natal de Jesus e a sua Paixão, e, especialmente, a maneira em que foi conjugado com a devoção à Virgem Maria. Por isso que certa iconografia represente a São Caetano recebendo ao Menino Jesus em seus braços, tal como se o oferecera a mesma Virgem. Este modo de recriar a figura de Caetano tem seu fundamento na narração que ele fizera a Irmã Laura Mignani, sobre uma experiência mística na Basílica de Santa Maria Maior de Roma, no Natal de 1517.

Disposto a não ter nenhuma moeda para pagar sua sepultura, se consagrou plenamente a uma vida pobre, de serviço aos mais necessitados e de confiança na Divina Providência. Assim, cobriu sua vida de santidade e entrega, murreu em Nápoles no dia 07 de agosto de 1547. Seus restos mortais descansam na cripta da Basílica de São Paulo Maior de Nápoles. Foi beatificado por Urbano VIII no dia 08 de outubro de 1629, enquanto que Clemente X o proclamou Santo no dia 12 de abril de 1671. Sua festa litúrgica se celebra no dia 07 de agosto.